A Spcine abriu na última quinta, 29 de agosto, as inscrições para a chamada pública que irá selecionar uma profissional de audiovisual negra para participar do LATC Global Film & TV Program. Realizado anualmente em Los Angeles, o exclusivo programa do Latin American Training Center reúne profissionais do mundo inteiro para uma imersão com encontros de negócios e painéis sobre a indústria global de cinema, TV e entretenimento. A edição deste ano será entre os dias 6 e 11 de novembro.

A oportunidade é para diretoras e produtoras-executivas negras, a partir de 21 anos, com ao menos dois curtas-metragens exibidos em festivais (nacionais ou internacionais) no currículo e inglês intermediário. A bolsa concedida pela parceria entre Spcine e LATC oferece passagem, custos com retirada de visto para os EUA e gratuidade do curso avaliado em US$ 3,3 mil, com acesso a master classes, painéis, eventos de networking, tour pelos estúdios da Netflix internacional e credencial para o American Film Market, um dos principais eventos de mercado do audiovisual no mundo.

Para participar, a interessada deve ser residente da cidade de São Paulo, ter passaporte válido para o período do curso e enviar uma carta de intenção explicando por que a oportunidade será importante para sua trajetória profissional. As selecionadas na primeira fase seguem para a etapa de entrevistas presenciais. As inscrições para a chamada pública seguem até o dia 7 de setembro. O regulamento e a íntegra do edital de chamamento estão disponíveis no site da Spcine. O resultado final sai no início de outubro.

Estudos recentes destacam a falta de representatividade no audiovisual brasileiro. Segundo levantamento da Agência Nacional de Cinema (ANCINE), dos 142 filmes brasileiros lançados comercialmente em 2016, nenhum tem direção ou roteiro assinado por uma mulher negra. Na análise do elenco, as atrizes negras representam apenas 5% dos papéis, de destaque ou secundários.  Em junho deste ano, a agência publicou nova pesquisa que revela que só 4% dos projetos inscritos em editais do Fundo Setorial do Audiovisual são de diretores e diretoras que se declararam negros.

“Como formuladora de política públicas, a Spcine está atenta a essa realidade e planeja ações afirmativas voltadas a pessoas negras no setor audiovisual. A parceria com o Latin America Training Center visa estimular o desenvolvimento desta profissional, promovendo o intercâmbio com agentes de todo o mundo. O setor só tem a ganhar com a pluralidade de vozes e narrativas”, afirma Laís Bodanzky, presidente da Spcine.

Sobre a Spcine
A Spcine é a empresa municipal de estímulo ao setor audiovisual. Atua como um escritório de desenvolvimento, financiamento e implementação de programas e políticas para os setores de cinema, TV, games e novas mídias. O objetivo é reconhecer e estimular o potencial econômico e criativo do audiovisual paulista e seu impacto em âmbito cultural e social. A empresa é uma iniciativa da Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Cultura.
www.spcine.com.br

Nossos parceiros

Assine nossa newsletter

É de graça e você pode se descadastrar a qualquer momento