Três meninas negras de São Francisco do Conde, município do Recôncavo Baiano, enfrentam a maior barreira ao escolherem o futebol como prática esportiva: o preconceito. Essa é a sinopse de “Trabalho de Formiguinha”, projeto de documentário de Marília Cunha, de Salvador, que ficou em primeiro lugar na categoria Brasil do LATINX 2019 – Concurso Latino-americano de Argumentos de Longa-metragem do LATC. Na categoria Países Hispanofalantes, quem conquistou a primeira colocação foi “Mokawa”, projeto de documentário de Paola Sarahi Echeverria Coello, do Equador, sobre um grupo de mulheres ceramistas da Amazônia equatoriana e sua relação com o passado ancestral e o presente globalizado.

Nas respectivas segundas colocações, os argumentos vencedores foram projetos de longa de ficção: “Eu de Novo”, de Roberto Simão Pereira Junior, de São Paulo, que traz a história da artista plástica Betina, que, após mais de 25 anos morando na França, retorna ao Brasil para expor suas obras e encontrar seu inesquecível amor de infância, Helena, que não sabe de sua transição de gênero. “La Chica Unicornio” [A Menina Unicórnio], por sua vez, argumento de María Victoria Andino, da Argentina, traz como protagonista Lucía, jovem de 17 anos que vive no seio de uma família de classe média e trabalha como modelo web em páginas eróticas. Mas sua vida tem uma reviravolta quando ela é descoberta. A revelação de sua identidade será primeiro uma tortura, mas depois um caminho de revelação que lhe permitirá questionar o sistema estabelecido.

A terceira colocação da categoria Brasil ficou com “Desajustadxs”, de Fernanda Cristina Vieira, de São Paulo. É também um projeto de longa de ficção e traz a história de Bia, uma garota solitária que descobre na sua escola que Alex, uma pessoa queer de gênero fluido, é melhor em um videogame em que ela era considerada a melhor. O que começa como uma rivalidade acaba se tornando uma grande amizade que vai unir várias pessoas que não se encaixam nos padrões e formando um time: as Desajustadxs. Entre os Países Hispanofalantes, o argumento que ficou em terceiro lugar é “Los Que Se Quedan” [Os Que Ficam], projeto de longa de ficção de María Belén Gallardo, da Argentina, sobre as vidas de uma mulher grávida desempregada e de um homem dedicado ao cuidado de sua mãe que se cruzam a partir de um pequeno acidente de trânsito.

Os primeiros lugares receberão um prêmio em dinheiro no valor de US$ 250, uma sessão de coaching de desenvolvimento de roteiro ou de pitching (por Skype) com Kate Lyra, Diretora e Consultora Técnica do LATC, além de um livro da Editora LATC. Os segundos lugares receberão um vale-brinde para o download do software Final Draft (avaliado em US$ 249,99) e um livro da Editora LATC. As terceiras colocações, por sua vez, receberão um livro da Editora LATC. Além disso, as 35 primeiras inscrições receberão um feedback escrito do seu argumento, independentemente da sua colocação final.

Organizado pelo Latin American Training Center, o LATINX 2019 – Concurso Latino-americano de Argumentos de Longa-metragem neste ano teve como tema “Mulheres e Diversidade” e contou com o apoio do Fórum Brasileiro de Ensino de Cinema e Audiovisual-Forcine, do Festival Século XXI: Mulheres, Ação!, e do Final Draft, o software de escrita de roteiros. Entre os objetivos, incentivar a escrita cinematográfica na América Latina, fomentar a criação artística, ajudar roteiristas iniciantes nas indústrias de cinema e entretenimento altamente competitivas e estimular a maior inserção das mulheres na indústria audiovisual.

O júri final que avaliou os argumentos finalistas foi composto por Ester Marçal Fér (UNILA-PR), Flávia Seligman (UNISINOS-RS) e Karla Holanda (UFF-RJ), professoras de escolas de cinema associadas ao Forcine. Além disso, os argumentos finalistas em português também foram avaliados por Elisa Tolomelli, produtora de Central do Brasil, Cidade de Deus, Como Esquecer, entre outros, e Andrea Cals, produtora do Festival Século XXI: Mulheres, Ação! “Considero muito importante e estimulante saber que há muitas pessoas envolvidas e dedicadas a pensar as questões que envolvem o feminino. No mundo atual, onde o machismo e todas as suas consequências atingem um nível quase insustentável para se viver, é fundamental que os olhos e as atenções se virem para a regra básica do Feminismo, onde o respeito pelos direitos alheios está em primeiro plano”, ressaltou Andrea.

“Acredito que a experiência foi bastante rica, por possibilitar um panorama narrativo da diversidade latino-americana feminina. Foi significativo perceber como determinados conflitos foram tratados tanto em contextos atuais como também históricos, o que me levou a refletir sobre a manutenção das problemáticas vividas pelas mulheres e meninas em nossas sociedades ao longo dos séculos. A dimensão do afeto entre mulheres, em toda a sua diversidade, foi uma marca muito forte no universo das histórias. Os argumentos apresentaram uma forte densidade na construção das relações familiares, entre mulheres de diferentes gerações, amigas, amantes, companheiras de vida e de trabalho. Ficou evidente que a autoria feminina permite uma mirada nova sobre certos enredos, tradicionalmente marcados por um olhar masculino”, destacou Ester Marçal Fér.

O resultado foi anunciado nesta sexta-feira na Universidade Federal de Santa Catarina, em Florianópolis, durante o XV Congresso Forcine. Abaixo a lista completa dos argumentos vencedores e finalistas.

Brasil:

  1. Trabalho de Formiguinha – Marília Cunha
  2. Eu de Novo – Roberto Simão Pereira Junior
  3. Desajustadxs – Fernanda Cristina Vieira
  4. As Donas da Bola – Luciana Guerra Malta
  5. Luz – Israel Marques
  6. Como é o sexo entre mulheres? – Mayara Santarem de Oliveira
  7. Nove Meses sob o Hábito – Lucas Satolo do Canto
  8. O Pôr do Sol em Barbacena – Aléxia Borgonovo Hetka
  9. Jogo de Fadas – Silas Camilo de Lira
  10. Audiência – Ariana Alves Malagrida

Países Hispanofalantes:

  1. Mokawa – Paola Sarahi Echeverria Coello
  2. La Chica Unicórnio – María Victoria Andino
  3. Los Que Se Quedan – María Belén Gallardo
  4. Alba – Brenda Grisel Morales García
  5. Nunca Cambies – Ruben Galindo Amezcua
  6. Fuera de la Cama – Nicole Bernal Villalon
  7. Azul verde – Paulina Urreta Torres
  8. Lo que se queda sin decir – Michelle Malley Campos
  9. 70 versiones de mi – Claudia García Covarrubias
  10. Pasos al aire – Lara Pombo

Para mais informações, por favor, acesse o site LATINX 2019 ou entre em contato com Tiago Elídio, Coordenador do Concurso, tiago.latc@gmail.com.

Abaixo a lista dos 35 primeiros argumentos inscritos que receberão feedback escrito:

  1. Minha Namorada
  2. Trago Seu Amor
  3. A família de Inácio
  4. A Sombra da Raposa
  5. LOLA
  6. O Outro Lado da Lua
  7. UniREAL
  8. Anayde
  9. Tentação
  10. LOBA
  11. Eu de Novo
  12. DORA
  13. Nós a Sós
  14. Como é o sexo entre mulheres?
  15. Por Mim, Por Elas
  16. Em Construção
  17. AS AVENTURAS DE PAÇOCA
  18. Heroínas da Névoa
  19. Mira, 40 anos.
  20. Amor velado
  21. Livre Arbítrio
  22. LUA
  23. Serpentes do Serrado
  24. Solarium
  25. Gloria
  26. Lo que se queda sin decir
  27. 70 versiones de mí
  28. Vico la autodidacta
  29. Mokawa
  30. Nunca Cambies
  31. Los que se quedan
  32. Paraíso Novillero
  33. Azul verde
  34. Francisca, Quiterio y su Courier Love.
  35. Pasos al aire

Em breve entraremos em contato com as pessoas vencedoras e enviaremos o feedback às 35 primeiras inscritas.

Nossos parceiros

Assine nossa newsletter

É de graça e você pode se descadastrar a qualquer momento